O Fundo Monetário Internacional (FMI) e a Comissão Europeia voltam já em setembro a Portugal para «vigiar» o Orçamento do Estado. Esta será a primeira missão de monitorização a aterrar em Lisboa, depois de ter terminado o programa de ajustamento financeiro, escreve o «Diário de Notícias».

Este primeiro «controlo» não vai entrar em grandes pormenores, mas vai apontar caminhos para a forma como o Orçamento do Estado de 2015 deve tratar a despesa pública.

De acordo com o mesmo jornal, a vigilância será semestral e pode prolongar-se até 2036, com recomendações, alertas e pedidos concretos de medidas.