O Fundo Monetário Internacional (FMI) afirmou esta que o desempenho orçamental de Portugal em 2013 «está em linha com o programa», esperando-se que o objetivo do défice, de 5,5% do Produto Interno Bruto (PIB), tenha sido «confortavelmente alcançado».

No relatório sobre a décima avaliação ao Programa de Assistência Económica e Financeira (PAEF), hoje divulgado, o FMI diz esperar que «o objetivo para 2013 tenha sido alcançado com alguma margem», o que justifica com «uma recuperação nas receitas fiscais».

«A recolha de impostos ao longo de novembro excedeu as projeções das próprias autoridades em 336 milhões de euros (0,2% do PIB). Além disso, medidas adicionais para compensar derrapagens orçamentais identificadas no oitava e na nona revisões foram implementadas com sucesso através do segundo Orçamento Retificativo que foi aprovado em novembro passado», recorda o Fundo.

No Orçamento do Estado para 2014, apresentado em outubro do ano passado, o Governo tinha revisto as previsões para o défice orçamental em 2013, antecipando que este fosse de 5,9%, acima da meta de 5,5% do PIB acordada com a troika (FMI, Comissão Europeia e Banco Central Europeu).

Entretanto, a ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque, afirmou no parlamento em janeiro que, sem medidas extraordinárias, o défice orçamental seria de 5,2% do PIB em 2013.