Os trabalhadores das empresas públicas, com subsídios de refeição com valores acima do que são pagos aos funcionários públicos, vão passar a receber 4 euros e 27 cêntimos por dia. O decreto-lei que contempla esta medida foi publicado no final da semana.

Os cortes entram em vigor a 2 de dezembro e estendem-se também às ajudas de custo e ao trabalho suplementar. A medida abrange todas a empresas do setor empresarial do estado.

Só no setor dos transportes, este corte vai afetar 9500 trabalhadores.

A medida sobrepõem-se aos instrumentos de negociação coletiva, pode ler-se no diploma, pelo que, no total, esta solução do governo, afetará 41 mil trabalhadores.