Com a chegada do calor os números do desemprego começam a descer. Isto porque os empregos sazonais começam a aparecer. Cafés, restaurantes, hotéis, praias: tudo serve para ganhar algum dinheiro. É que nas esplanadas há mais clientes e, por isso, a equipa tem de ser reforçada.

Verão passa a ser, assim, sinónimo de trabalho. A prová-lo está a taxa de desemprego em Portugal, que caiu duas décimas em junho face a maio, para 17,4%, segundo dados do Eurostat,  já corrigidos da sazonalidade.

É certo que os empregos de verão são limitados, mas pelo menos ajudam alguns jovens a pagar as propinas na universidade. Os negócios dos gelados ou hotelaria, em geral, também ajudam.

Já os nadadores salvadores trabalham apenas na época balnear mas ganham, em média, mil euros, ainda que a recibos verdes. Este ano, por exemplo, cerca de quatro mil abraçaram a profissão.