[Notícia atualizada às 13h00]

Portugal vai além do cumprimento da meta do défice para 2013 acordada com a troika, de 5,5 por cento. Com a ajuda de um excedente de 400 milhões de euros nas contas da Segurança Social, sete vezes mais do que aquilo que o Governo esperava, o défice pode ficar abaixo dos 5,5%.

Já esta manhã em Davos, na Suíça, Pires de Lima disse que os números de 2013 são melhores do que aquilo que se estava à espera, reforçando a confiança na economia.

A ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque, afirmou na quarta-feira no Parlamento que as metas orçamentais para 2013 «foram mais do que cumpridas», referindo-se à execução orçamental do último ano, que será divulgada esta tarde.

«Os cenários negros que foram sendo traçados ao longo deste tempo não se materializaram», afirmou Maria Luís Albuquerque durante o debate parlamentar sobre o Orçamento Retificativo, acrescentando que «há um conjunto de boas notícias nas mais diversas frentes».

A Direção-Geral do Orçamento (DGO) dá hoje a conhecer se Portugal cumpriu o limite do défice orçamental em contabilidade pública acordado com a troika para 2013.

Com a síntese de execução orçamental relativa às contas entre janeiro e dezembro, a DGO dará a conhecer a evolução da execução orçamental em contabilidade pública (ótica de entrada e saída de fluxos de caixa), com os dados para a totalidade do ano da receita fiscal e a despesa do Estado, por exemplo.

Nos dados deve-se ficar a conhecer também se Portugal cumpriu o objetivo de não acumular dívidas em atraso há mais de 90 dias, também esta uma meta acordada pela troika.

Governo: metas orçamentais para 2013 «foram mais do que cumpridas»