A Comissão Europeia anunciou esta segunda-feira que suspeita que 13 bancos de investimento, a empresa Markit e a organização norte-americana ISDA tenham criado um cartel no mercado dos contratos de permuta financeira de crédito ( credit default swaps).

Os 13 bancos em causa - que Bruxelas notificou hoje - são: Bank of America Merrill Lynch, Barclays, Bear Stearns, BNP Paribas, Citigroup, Credit Suisse, Deutsche Bank, Goldman Sachs, HSBC, JP Morgan, Morgan Stanley, Royal Bank of Scotland e UBS.

O executivo comunitário afirma, em comunicado, que, depois de uma investigação preliminar, considerou que estas entidades (os 13 bancos de investimento, a Markit e a ISDA) «infringiram as regras de concorrência da União Europeia (UE) que proíbem acordos anticoncorrenciais», suspeitando que as mesmas acordaram em impedir ou em atrasar a entrada dos seus concorrentes no negócio dos derivados de crédito entre 2006 e 2009.

A ISDA é a organização norte-americana que serve de árbitro no mercado dos derivados e a Markit é principal empresa fornecedora de informações financeiras sobre o mercado de CDS.

Os credit default swap são contratos de permuta financeira de crédito, vulgarmente designados de CDS.

Um CDS é uma espécie de seguro que protege o investidor do incumprimento de uma dívida específica, tendo quem compra este seguro de pagar um prémio mensal. A diferença face a um seguro tradicional é que quem compra o seguro, não tem necessariamente de ter o ativo (é como segurar a casa do vizinho contra incêndios).