O BCE poderá ter de aumentar a taxa de juro de referência na Zona Euro. Isto caso as pressões inflacionistas ganhem força. A ideia é defendida no boletim mensal do Banco Central Alemão (Bundesbank), que foi divulgado esta sexta-feira.

Assim, de acordo com o Bundesbank, a promessa de Mario Draghi - em manter juros baixos durante um longo período - «não é uma posição imperativa, nem representa uma mudança» na postura da autoridade monetária no que diz respeito à sua política monetária.

Os alemães não descartam, por isso, um aumento dos juros se as pressões inflacionistas «ganharem força», até porque o BCE tem como função assegurar a estabilidade de preços. Ora, essa decisão, a concretizar-se, terá impacto sobre a prestação da casa paga ao banco por milhares de famílias na Europa.

No dia 1 de agosto, o líder do BCE, Mario Draghi, disse que as taxas de juro vão manter-se baixas durante um longo período.

De acordo com os últimos números do Eurostat, relativos a julho, a taxa de inflação na zona euro estabilizou em 1,6%, dentro do território de estabilidade de preços à luz do banco central.

A taxa diretora está atualmente nos 0,5%, ou seja, em mínimos históricos.