O acerto de calendário não é grande, mas afinal o programa de ajustamento português só termina, oficialmente, a 19 de maio.

Escreve a «TSF», que na carta do Governo para a troika, escrita no final da 11ª avaliação, a data para o fim do programa surge pela primeira vez impressa num documento oficial: 19 de maio de 2014, uma segunda-feira. Ou seja, dois dias depois de 17 de maio, data a que Paulo Portas já atribuiu valor contratual.

Na conferência de imprensa em que apresentou, ao lado de Maria Luís Albuquerque, os resultados da 11ª avaliação, o vice-primeiro-ministro afirmou que «a data contratual, entre Portugal e a troika, para o fim do programa, é 17 de maio».

Mas o «contrato» diz outra coisa. No documento a que a «TSF» teve acesso, a carta do Governo português para a troika, a pedir nota positiva na 11ª avaliação, a data inscrita é 19 de maio.