No ano passado, perto de 150  gestores públicos tiveram de desembolsar 787 mil euros, por darem mau uso a verbas públicas ou não cumprirem as obrigações de prestação de contas, segundo o Jornal de Notícias.

O valor é maior do que os 521 mil euros do ano anterior e quase o dobro do registado em 2901. Em três anos, soma 1,7 milhões de euros que têm de sair dos bolsos dos gestores.

Estão em causa autarcas, diretores-gerais, presidentes de institutos ou de empresas públicas, responsáveis hospitalares ou responsáveis financeiros.

No ano passado, 144 gestores tiveram de pagar multas no valor de 454 mil euros por infrações como a de apresentação de contas fora de tempo, e sete tiveram, de devolver 333 mil euros, usados de forma indevida.