O valor em carteira do Fundo de Estabilização Financeira da Segurança Social (FEFSS) era de cerca de 13.500 milhões de euros no final de 2014, segundo um relatório do Tribunal de Contas divulgado esta segunda-feira.

Este montante equivalia a 7,8% do Produto Interno Bruto (PIB) de 2014 e a 115,6% do valor gasto com pensões do Sistema Previdencial no ano passado, refere o relatório sobre o acompanhamento da execução do Orçamento da Segurança Social, de janeiro a dezembro de 2014.

De acordo com o relatório da instituição liderada por Guilherme d’Oliveira Martins, este resultado traduz um acréscimo de 15,4% face ao final de 2013, ou seja, mais 1.805 milhões de euros, gerado ao longo do ano, embora o “maior contributo” seja o do primeiro trimestre, com 781,8 milhões de euros.

Em dezembro de 2013, o valor em carteira do FEFSS era 11.699 milhões de euros.

Do total do valor em carteira em 31 de dezembro de 2014, o FEFSS detinha 8.994 milhões de euros em dívida pública nacional e 1.336 milhões de euros em dívida pública estrangeira.

O FEFFS detinha igualmente, nesta data, 1.470,7 milhões de euros em ações, 163,9 milhões de euros em imobiliário, 20,1 milhões euros de reserva estratégica, 1.518,8 milhões de euros em liquidez e 300.000 euros em provisões e impostos a receber, segundo  o relatório a que a Lusa teve acesso. 

O FEFSS foi criado em 1989 para prosseguir a estabilização estrutural do regime financeiro do sistema de Segurança Social, face à evolução das condições económicas, sociais e demográficas do país.