“Hoje na UE elas têm a ver com os refugiados, mas igualmente com a questão da segurança e das migrações”, sublinhou.