A advogada de vários clientes do Banco Privado Português (BPP) que se consideram lesados no investimento feito no veículo Privado Financeiras, Fátima Godinho, apontou hoje para a forte possibilidade de recorrer contra a absolvição dos ex-gestores do banco.

"Obviamente, não nos congratulamos com esta sentença de primeira instância. Vamos aguardar que o Tribunal da Relação de Lisboa aprecie os factos e diga de sua justiça", disse aos jornalistas Fátima Godinho à saída do tribunal.


A advogada considerou que o processo "está longe do fim" e que ainda "é tudo muito precário".

E realçou: "Vamos aguardar com tranquilidade a apreciação da prova extensa por parte da Relação".

Fátima Godinho disse não concordar com a fundamentação do coletivo de juízes presidido por Nuno Salpico que absolveu esta sexta-feira João Rendeiro, Paulo Guichard e Salvador Fezas Vital do crime de burla qualificada.

"Vamos ver se a culpa é dos mercados", lançou a mandatária de um grupo de investidores do veículo Privado Financeiros, como cita a Lusa.