Os trabalhadores das empresas de transporte fluvial Transtejo e Soflusa, que fazem as ligações no rio Tejo, vão reunir-se esta sexta-feira em plenários, que vão originar paralisações das carreiras.

Recebemos algumas garantias do secretário de Estado Adjunto e do Ambiente sobre uma das partes da revisão do Acordo de Empresa de 2016 que acabou chumbado pelas Finanças. Vamos apresentar a situação aos trabalhadores nos dois plenários”, disse à agência Lusa Carlos Costa, do Sindicato dos Transportes Fluviais Costeiros e Marinha Mercante, afeto à Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações (FECTRANS).

Segundo o sindicalista, em cima da mesa está a possibilidade de as greves agendadas para 11 e 12, vésperas do feriado de Lisboa, serem desconvocadas, mas avisou que essa será uma decisão dos trabalhadores.

O grupo Transtejo anunciou, em comunicado, que no âmbito do processo negocial dos Acordos de Empresa em vigor na Transtejo e na Soflusa, decorreu esta semana uma nova ronda de reuniões entre as comissões intersindicais e a administração das empresas, que contou com a presença do secretário de Estado Adjunto e do Ambiente, José Gomes Mendes.

“Esta nova ronda de reuniões levou à convocação de plenários gerais de trabalhadores para sexta-feira, 08 de junho, na sequência dos quais o secretário de Estado fará uma declaração pública, às 16:30, no Terminal Fluvial Cais do Sodré, em Lisboa”, acrescenta a empresa.

Os trabalhadores da Soflusa, que faz a ligação entre o Barreiro e Lisboa, agendaram uma greve para o dia 12 de junho, pelo período de 24 horas, bem como ao trabalho extraordinário, entre 11 de junho e 31 de dezembro de 2018.

Já os trabalhadores da Transtejo, que fazem as restantes ligações no Tejo, marcaram greve para os dias 11 e 12 de junho de 2018, três horas por turno de serviço, bem como ao trabalho extraordinário, entre 08 de junho e 31 de dezembro de 2018.

O tribunal arbitral decidiu não fixar serviços mínimos, com os trabalhadores de ambas as empresas, que pertencem ao Grupo Transtejo, a defenderem avanços nas negociações da revisão do Acordo de Empresa.

O plenário dos trabalhadores da Soflusa vai decorrer na sexta-feira no terminal fluvial do Barreiro, enquanto o plenário da Transtejo vai decorrer no terminal fluvial de Cacilhas, ambos ao início da tarde.

“Está prevista a paralisação da atividade nas duas empresas durante o tempo em que decorrem os plenários”, disse Carlos Costa.

Devido aos plenários, o grupo Transtejo prevê a interrupção das carreiras. Na Soflusa, as ligações devem parar entre as 13:25 e as 16:50.

Já na Transtejo, as diferentes carreiras têm horários distintos para a interrupção do serviço, começando as ligações a parar entre as 13:00 e as 14:30, sendo retomadas a partir das 17:35.