A transportadora rodoviária Vimeca informou esta quarta-feira que não chegou a acordo com a Secretaria de Estado dos Transportes e que, por isso, o fim dos passes intermodais vai mesmo acontecer a partir de 1 de agosto.

Em resposta às questões colocadas pela agência Lusa, a Vimeca, que opera nos concelhos da Grande Lisboa, dá conta de que «não chegou a acordo com a Secretaria de Estado dos Transportes, porque não lhe foi apresentado qualquer acordo em concreto».

«A verdade é que o Estado deve à Vimeca desde 2011 mais de sete milhões de euros, segundo as nossas contas, e não assume o compromisso de quando liquidará esta dívida há muito vencida», refere.

Na mesma nota escrita, a empresa esclarece que «fez de tudo» para chegar a acordo e lamenta as declarações proferidas na terça-feira pelo secretário de Estado dos Transportes, Sérgio Monteiro, sobre a existência de um acordo com outros operadores privados, nomeadamente com a Rodoviária de Lisboa (RL) e os Transportes Sul do Tejo (TST).

A empresa acusa o governante de, com essas declarações, «tentar colocar a Vimeca numa posição de braço de ferro com o Estado, o que não é verdade».

«Havendo realmente um acordo, como afirma o doutor Sérgio Monteiro, seria de bom tom e a bem do esclarecimento público que os termos e a data desse suposto acordo fosse divulgado. A Vimeca lamenta não só toda esta situação», lê-se.

Em declarações à TSF, Sérgio Monteiro afirmou que o acordo com a RL e a TST prevê que a atribuição de 20 milhões de euros às duas empresas, correspondentes às dívidas de 2011, 2012 e 2013.

Perante a ausência de acordo, a Vimeca adianta que a partir do dia 01 de agosto não serão aceites as modalidades dos passes sociais, uma informação já disponível aos utentes na página da Internet da empresa, que sugere ainda que os utentes procurem os seus passes combinados.