As ligações fluviais da Transtejo vão ser afetadas esta segunda-feira pela greve parcial dos trabalhadores, que se prolonga até terça-feira, admitiu a empresa Transportes de Lisboa.

"Por motivo de greve parcial, convocada por várias organizações sindicais representativas dos trabalhadores da Transtejo, não será possível garantir o serviço regular de transporte fluvial, nos dias 07 e 08 de setembro", refere a empresa, em comunicado.

A Transtejo é a empresa responsável pelas ligações fluviais entre Cacilhas, Seixal, Montijo e Trafaria e Lisboa, estando integrada na Transportes de Lisboa, juntamento com o Metro, Carris e Soflusa.

Os trabalhadores da Transtejo avançam com uma greve de três horas por turno a 07 e 08 de setembro, que afetam, em especial, as horas de ponta.

"Esta é a resposta às medidas prepotentes e arbitrárias da atual administração, que recusa negociar as condições de trabalho e procede a aumentos de salários de quadros superiores em valores que atingiram 2.500 euros por mês", refere a FECTRANS - Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações em comunicado.

A federação acusa o Governo de estar a proceder à "destruição da organização e funcionamento das empresas Carris, Metro, Transtejo e Soflusa, para gerar a extinção de centenas de postos de trabalho e embaratecer a operação de privatização em curso".