O grupo Transtejo, responsável pelas ligações fluviais entre a margem sul e Lisboa, anunciou esta quarta-feira que, a partir do dia 28 de setembro, o transporte de bicicletas ficará indisponível em algumas ligações.

"Por motivos legais e de segurança no transporte de passageiros, o transporte de bicicletas ficará temporariamente restrito às ligações fluviais entre o Barreiro e o Terreiro do Paço e na ligação Trafaria, Porto Brandão e Belém (ferry)", refere a empresa em comunicado.

O grupo Transtejo refere que devido a "inconformidades legais e de segurança detetadas na frota" que serve as ligações fluviais do Montijo, Seixal e Cacilhas não será possível manter o transporte de bicicletas nas atuais condições.

De acordo com a Direção Geral de Recursos Naturais, Segurança e Serviços Marítimos (DGRM), o transporte de bicicletas ou de qualquer outro tipo de carga não previsto na certificação atual da embarcação, ou autorizado previamente, pelas entidades com competências no âmbito da segurança marítima, não poderá ser realizado, explicou à Lusa fonte oficial do grupo Transtejo.

"A frota em causa não possui autorização ou certificação para o transporte de bicicletas, pelo que fica interdito até que a DGRM se pronuncie sobre os processos entretanto submetidos", acrescentou.

A empresa garante que está já em contacto com a DGRM para solucionar a questão e tornar o "mais breve possível esta suspensão temporária".

"Com esta medida, a empresa cumpre com a lei em vigor, garante o transporte eficiente e seguro de passageiros, bem como assegura, para o futuro, melhores condições de transporte de bicicletas, em toda a sua frota de navios", acrescenta.