Os trabalhadores da transportadora Carris vão fazer greve às horas extraordinárias a partir de sexta-feira, e até 31 de março, de acordo com um pré-aviso entregue no início deste mês.

Em causa está o «assalto feito aos trabalhadores» com os cortes salariais, o aumento dos transportes e a retirada de direitos consagrados no acordo de empresa, disse à Lusa o vice-presidente do Sindicato Nacional dos Motoristas, Manuel Oliveira, à agência Lusa na altura em que o pré-aviso de greve foi entregue.

Contactada pela Lusa, fonte da rodoviária, que opera na Grande Lisboa, revelou que a empresa «não tomou qualquer medida especial para fazer face a esta greve».

«No entanto, não deixará, sempre que se justifique, de adotar as medidas que se mostrarem necessárias para assegurar a prestação normal do serviço aos seus clientes», refere a empresa numa nota enviada à agência Lusa.

Segundo a Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações, para sexta-feira está também marcada uma reunião com a administração da empresa.