A adesão à greve dos auxiliares de terra da Soflusa, que faz a ligação fluvial entre Barreiro e Lisboa, voltou hoje a ser de 100%, mas as carreiras foram efetuadas, disse fonte da empresa.

«A adesão à greve foi de 100%. Os auxiliares de terra escalados para hoje aderiram à greve, tal como tinha acontecido na terça-feira, o primeiro dia de greve"» adiantou à agência Lusa fonte oficial da transportadora.

Apesar da adesão, as ligações fluviais entre as duas margens do Tejo foram efetuadas, tal como na terça-feira, tendo sido utilizado um outro cais para atracar os barcos em Lisboa.

«Registaram-se alguns atrasos, mas as carreiras voltaram hoje a ser efetuadas, tendo todos os passageiros sido transportados. Foi utilizado o cais da ligação do Montijo com Lisboa para atracar os barcos», acrescentou.

A Soflusa é uma empresa do grupo Transtejo que faz a ligação entre o Barreiro e Lisboa. A Transtejo, a outra empresa do grupo, é responsável pelas restantes ligações entre as duas margens do rio Tejo na região de Lisboa.

Os auxiliares de terra da Soflusa estão a realizar três dias de uma greve parcial, que pode afetar as ligações entre as duas margens nas horas de ponta da manhã e da tarde e que termina na quinta-feira.

Os atuais sete trabalhadores responsáveis por atracar e desatracar os barcos que fazem aquela ligação no rio Tejo queriam manter o sistema de rotatividade entre Barreiro e Lisboa, enquanto a empresa decidiu que passam a desenvolver a sua tarefa apenas em Lisboa.

Os auxiliares de terra reivindicam ainda que o quadro de pessoal seja completado com mais três trabalhadores, de modo a ser adequado para responder às necessidades da empresa nos dois locais.