A empresa Soflusa, responsável pelas ligações fluviais entre o Barreiro e o Terreiro do Paço, em Lisboa, anunciou esta terça-feira que se prevê a supressão de várias carreiras durante a tarde, ainda antes do período de greve parcial.

Esta supressão deve-se a “motivos de absentismo e de greve ao trabalho suplementar por parte de trabalhadores da Soflusa”, disse à Lusa fonte oficial da transportadora, acrescentando que as alterações não estão diretamente relacionadas com a paralisação parcial que decorre desde segunda-feira.

As ligações em que se prevê a supressão estavam marcadas, entre o Barreiro e Lisboa, para as 15:45, 16:40 e 17:35 e, no sentido inverso, para as 16:15 e 18:00. As carreiras fluviais vão depois parar entre as 18:00 e as 21:45, devido à greve parcial, como estava já previsto.

Os trabalhadores da Soflusa estão a realizar uma paralisação parcial de três dias, de três horas por turno, que afeta as ligações fluviais entre as duas margens do Tejo, em especial nos períodos das horas de ponta da manhã e da tarde.

Os trabalhadores exigem uma revisão da massa salarial.

A Soflusa, integrada na Transportes de Lisboa, juntamente com o Metro, Carris e Transtejo, tem cerca de 170 trabalhadores.