Os trabalhadores da empresa Transtejo, que faz ligações fluviais no rio Tejo, vão realizar na segunda-feira uma greve de 24 horas, que deve paralisar as carreiras do Montijo, Seixal, Almada e Trafaria para Lisboa.

Os trabalhadores decidiram em plenário avançar para a greve de 24 horas no dia 25 de novembro, segunda-feira, pois estão contra a nova legislação, que vai originar cortes salariais.

«Tendo em conta as implicações do Orçamento do Estado e do decreto-lei 133/2013, os trabalhadores decidiram avançar para uma greve de 24 horas no dia 25 de novembro», disse José Oliveira, da Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações (Fectrans).

O grupo Transtejo anunciou que devido à greve não vai poder garantir, em condições de normalidade, o serviço de transporte fluvial, apesar de anunciar que existem serviços mínimos decretados pelo Tribunal Arbitral do Conselho Económico e Social (CES).

Assim, as ligações em todas as carreiras da Transtejo começam a parar na noite de domingo e devem regressar à normalidade já depois das 00:00 do dia 26 de novembro, terça-feira.

A ligação entre Cacilhas (Almada) e o Cais do Sodré é a que tem prevista a realização de mais carreiras de serviços mínimos ao longo do dia de greve, em ambos os sentidos, no período de hora de ponta da manhã e da tarde.

Na ligação entre o Montijo e Lisboa está prevista a realização de cinco carreiras ao longo dia, três no sentido Montijo/Cais do Sodré e duas em sentido inverso, enquanto na ligação do Seixal apenas se devem realizar quatro carreiras, três no sentido Seixal/Cais do Sodré e um em sentido inverso.

Na carreira entre a Trafaria e Belém não está previsto nenhum serviço mínimo.

«A realização destas carreiras está condicionada ao cumprimento da decisão do CES, por parte dos trabalhadores, bem como à lotação do navio de serviço durante os períodos de greve. Os serviços mínimos da ligação do Montijo serão realizados, excecionalmente no dia 25 de novembro, considerando o desembarque e embarque no terminal do Cais do Sodré», refere o grupo Transtejo.

A Transtejo anuncia ainda que títulos de transporte serão válidos, durante os períodos de greve, na ligação entre o Barreiro e o Terreiro do Paço, que é da empresa Soflusa, que também pertence ao grupo Transtejo.

Os trabalhadores da Soflusa decidiram avançar para a realização de um plenário, com paralisação da atividade entre as 10:00 e as 16:00, no dia 26 de novembro, onde vão decidir as formas de luta a realizar no futuro.