A greve parcial de sete dias na Soflusa, responsável pelas ligações fluviais entre o Barreiro e Lisboa, vai afetar as carreiras entre as duas margens do Tejo nas horas de ponta, alertou esta sexta-feira a empresa, citada pela Lusa.

A greve, de três horas por turno, vai começar no domingo, dia 03, estando previsto que o último barco parta à 01:30, no sentido Barreiro/Terreiro do Paço, e às 02:00 no sentido inverso, com as ligações a regressarem à normalidade a partir das 10:40.

No período da tarde, o último barco é as 16:25, com as ligações a serem retomadas às 20:55. Este cenário vai repetir-se também no sábado, dia 09.

Já em relação aos dias de semana, entre 04 e 08 de novembro, a última ligação vai ocorrer à 01:30, no sentido Barreiro/Terreiro do Paço, e às 02:00 no sentido inverso, com a ligação a regressar à normalidade a partir das 10:40.

Neste período da manhã, os serviços mínimos preveem que sejam realizadas duas carreiras, às 06:30 e às 07:30, ambas no sentido Barreiro/Terreiro do Paço.

No período da tarde, a última carreira será 16:30 no sentido Barreiro/Terreiro do Paço e às 16:15 no sentido inverso, com as ligações a serem retomadas a partir das 19:40.

Também no período da tarde se vão realizar duas ligações de serviços mínimos, às 17:00 e 18:00, ambas no sentido Terreiro do Paço/Barreiro.

Os trabalhadores das empresas Soflusa e Transtejo estão contra aos impactos do novo regime jurídico do setor público empresarial, considerando que vão sofrer um redução salarial de cerca de 100 euros.

Os trabalhadores da Transtejo, que pertence ao mesmo grupo e é responsável por todas as restantes ligações no rio Tejo, decidiram suspender a greve que estava prevista nos mesmos moldes que na Soflusa e vão decidir em plenário novas formas de luta.