Nos últimos três anos encerraram 3.000 empresas de transporte de mercadorias em Portugal, que atualmente são cerca de 8.000, estimou esta sexta-feira à Lusa o presidente da Associação Nacional de Transportadores Públicos Rodoviários de Mercadorias (ANTRAM).

Segundo disse à Lusa Gustavo Paulo Duarte, o desaparecimento de empresas do setor está relacionado com um somatório de fatores, nomeadamente, a dificuldade das empresas em obter financiamento, o elevado preço dos combustíveis e a quantidade de impostos que têm de pagar bem como com a introdução de portagens nas antigas vias Sem Custos para o Utilizador (SCUT).

O presidente da ANTRAM, que falava à Lusa à margem do 15.º Congresso da associação, sublinhou que aqueles não são dados oficiais, uma vez que o Instituto da Mobilidade e dos Transportes (IMT) não tem números atualizadas da quantidade de empresas a operar no setor, mas uma estimativa da associação.

No que respeita ao pagamento de portagens nas ex-SCUT, medida introduzida há quatro anos, Gustavo Paulo Duarte considera que penalizou bastante as exportações, tornando Portugal pouco competitivo face a outros países europeus, sobretudo por não haver, na maior parte das vezes, estradas que sirvam como alternativa.

Por outro lado, de acordo com o presidente da ANTRAM, as empresas de transporte de mercadorias são o setor "que mais impostos paga em Portugal", pois além dos impostos normais aplicados a todas as empresas, ainda têm que pagar os elevados impostos aplicados à sua "matéria-prima", ou seja, o combustível.

"Temos grandes dificuldades de competitividade no setor perante os nossos concorrentes europeus", resumiu o responsável, salientando também, entre outras dificuldades, a falta de regulação da atividade e de mão de obra, que se sente "cada vez mais", uma vez que "socialmente é depreciativo ser camionista".

No ano passado, a associação estabeleceu um protocolo com o Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) para ser dada formação naquela área a mais de 800 desempregados, acordo que foi renovado e que deverá vigorar até meados de 2016.

O 15.º congresso da ANTRAM decorre entre hoje e sábado num hotel em Albufeira sob o tema “Sinergias que nos unem”, e tem no programa a abordagem de temas como o novo pacote rodoviário europeu ou os desafios de Portugal no contexto europeu.

Ainda durante o dia de hoje, a ANTRAM vai estabelecer diversos protocolos com outras entidades ligadas ao setor do transporte de mercadorias.