A reestruturação dos quadros de pessoal já custou 46 milhões de euros às empresas públicas de transportes. Foi o valor pago em indemnizações dos quase 3 mil trabalhadores que abandonaram o setor desde 2010.

Segundo o jornal Público, entre janeiro e novembro de 2013 as transportadores públicas gastaram 13,1 milhões de euros com rescisões de contrato.

No ano anterior, as indemnizações tiveram um custo de 9 milhões de euros, enquanto que em 2011 custo foi de 16,6 milhões.

Esses gastos representaram, em 2013, 4,1% dos custos com pessoal na CP, Metro do Porto, Carris, STCP, Metro de Lisboa, Transtejo e Refer.