A TAP deve pôr em marcha um "programa ambicioso" para poupar entre 150 a 200 milhões de euros até 2020, defende a consultora Boston Counsulting Group, que identificou vários caminhos para a companhia aérea nacional ser mais competitiva.

No projeto "Transformar a TAP numa companhia aérea mais eficiente", a que a Lusa teve acesso, a Boston Consulting considera que os custos da TAP estão numa boa posição quando comparados com as companhias de bandeira, mas precisa de ser mais eficiente para competir com as de baixo custo.

Nesse sentido, aponta as "oportunidades" para reduzir os custos da transportadora, sendo que um terço da poupança - entre 50 e 70 milhões de euros - é alcançado na categoria dos pilotos e tripulantes, com a renegociação de acordos de empresa e o ajustamento do número de assistentes de bordo ao mínimo exigido por voo.

No início do mês, a TAP mudou de estratégia e passou a concorrer com as companhias low cost. A transportadora aérea anunciou uma redução dos preços na ordem dos 34% ao nível das tarifas mais baixas, o chamado tarifário Discount.

"A TAP passa desta forma a competir no segmento das tarifas mais baixas do mercado, cabendo a cada cliente escolher, de forma simples e transparente, o nível de serviço que melhor se adequa à sua viagem e pagando apenas o preço correspondente ao tipo de produto que valoriza”, frisou a transportadora aérea em comunicado.