Os trabalhadores do Metropolitano de Lisboa iniciam às 00:00 de terça-feira uma greve de 24 horas contra a concessão da empresa a privados e a perda de condições de trabalho.

Segundo a Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações (FECTRANS), esta é «a continuação da luta em defesa» do Metro no setor empresarial do Estado, depois de o Governo ter anunciado que o concurso para concessão da empresa e da rodoviária Carris – por um período mínimo de nove anos - deverá ser lançado no final deste mês ou no início de novembro.

Depois de um período sem greves, os trabalhadores do Metro de Lisboa voltaram à luta em setembro, sendo esta a terceira paralisação desde o início daquele mês, lembra a Lusa.

Em 2013 os trabalhadores fizeram quatro greves de 24 horas e sete parciais.

Este ano, realizaram três parciais em janeiro.

Até domingo à noite a empresa não tinha divulgado qualquer informação sobre a suspensão do serviço devido à paralisação.