O Instituto Nacional de Estatística (INE) divulga esta quarta-feira os números do emprego referentes ao terceiro trimestre deste ano, que devem confirmar uma ligeira descida da taxa de desemprego face ao trimestre anterior, segundo analistas contactados pela agência Lusa.

No segundo trimestre, a taxa de desemprego caiu para os 13,9%, o que representou uma queda homóloga de 2,5 pontos percentuais e um recuo de 1,2 pontos face ao trimestre anterior, anunciou o INE em agosto.

Analistas contactados pela Lusa estimam uma nova descida da taxa de desemprego de 13,9% no segundo semestre para 13,8% no terceiro trimestre, justificada por uma melhoria ligeira da economia, do mercado de trabalho e da confiança dos agentes económicos e também pelo “recuo da população ativa”.

Num comentário à agência Lusa, a economista do departamento de Estudos Económicos e Financeiros do banco BPI Paula Carvalho disse que o «terceiro trimestre tem tipicamente uma sazonalidade desfavorável» que, admitiu, «poderá ser agravada pelo episódio de resolução do BES, com eventual impacto no adiamento de decisões de contratação».

Também o presidente da IMF – Informação de Mercados Financeiros, Filipe Garcia, recordou que o desemprego «é um indicador desfasado da evolução do Produto Interno Bruto (PIB)» e que, por isso, «não deverá ainda registar o impacto da desaceleração económica que está a ocorrer na zona euro».

«A taxa de desemprego poderá continuar a descer, mas será muito difícil regressar aos níveis registados antes da crise, dadas as alterações estruturais que ocorreram», afirmou.