O emprego na zona euro aumentou 0,4% no segundo trimestre em comparação com o primeiro e 1,4% em termos homólogos, atingindo o seu nível mais alto desde 2008, segundo dados divulgados pelo Eurostat.

Na União Europeia como um todo, a taxa de emprego entre abril e junho subiu 0,3%, menos uma décima do que no período janeiro-março.

Face ao ano anterior, o emprego aumentou 1,5% nos 28 países da UE, mais do que os 1,4% no primeiro trimestre.

O Eurostat estima que 232,1 milhões de pessoas estariam empregadas na UE no segundo trimestre, um recorde, 153,3 milhões dos quais na zona euro, o nível mais elevado desde o quarto trimestre de 2008, quando o bloco a moeda única foi confrontado com os efeitos da crise financeira global.

Segundo o gabinete oficial de estatísticas da UE, a Estónia (1,7%), a Irlanda (1,1%) e a Lituânia (1,0%) registaram os maiores crescimentos face ao trimestre anterior, enquanto a Croácia (-0,4%) foi o único país onde o indicador diminuiu.