O Alentejo é um dos 52 destinos mundiais a visitar este ano eleitos pelo jornal norte-americano The New York Times, sobretudo devido ao vinho, à gastronomia e ao céu estrelado da região, foi anunciado este sábado.

Num comunicado enviado à agência Lusa, a Agência Regional de Promoção Turística do Alentejo (ARPTA) referiu que a região surge na «exclusiva lista» de 52 destinos mundiais a visitar este ano elaborada pela redação do jornal.

Num artigo dedicado ao Alentejo, que começa com as perguntas «Aborrecido de Bordéus? Farto da Toscânia?», o jornal apresenta a região como «alternativa aos destinos vinícolas e enogastronómicos mais reconhecidos a nível internacional» e aponta o vinho, a gastronomia e o céu estrelado como razões para a visitar este ano.

No artigo, indicou a ARPTA, o jornal destaca várias unidades turísticas do Alentejo, como o Torre de Palma Wine Hotel (Monforte), as herdades da Malhadinha (Beja) e da Comporta (Alcácer do Sal), o «resort» L'AND Vineyards (Montemor-o-Novo) e o Ecorkhotel (Évora).

Segundo a ARPTA, na edição do passado mês de dezembro, a revista britânica «House & Garden», no seu suplemento «Gourmet Travel», também destacou o Alentejo, num artigo com o título «A fine vintage» («Uma fina colheita»).

No artigo, a revista refere que «saboreou os prazeres simples e as tradições cheias de charme» do Alentejo, «onde a comida é preparada com amor e orgulho» e destaca o Ecorkhotel, o Convento do Espinheiro, o Vitória Stone Hotel e o restaurante "O Fialho" (Évora) e a Herdade do Esporão (Reguengos de Monsaraz).

De acordo com a ARPTA, também a revista «Jamie Magazine», do conhecido chef britânico Jamie Oliver, «dá um amplo destaque» ao Alentejo na edição deste mês, com um artigo intitulado «The Good Life» («A boa vida») em que a gastronomia é «o alvo de todas as atenções».

Segundo o presidente da ARPTA, Vítor Silva, citado no comunicado, esta «visibilidade internacional» do Alentejo é «o resultado do esforço dos empresários da região, que têm apostado na qualificação das infraestruturas turísticas, e da aposta da agência na promoção internacional através de convites à imprensa especializada para visitar o destino».

Em 2014, mais de 300 jornalistas internacionais visitaram o Alentejo a convite da ARPTA, «o que se traduziu numa maior visibilidade do destino e, acreditamos, se refletiu nos resultados turísticos verificados» naquele ano, refere Vítor Silva.

Segundo a ARPTA, em 2014, o Alentejo bateu os recordes de receitas e dormidas e a atividade turística na região gerou uma receita a rondar os 250 milhões de euros.