O Ministério de Fomento espanhol aprovou a licitação de obras de plataforma de três novos troços pertencentes à linha ferroviária de alta velocidade Madrid-Extremadura-fronteira portuguesa, no valor de 100 milhões de euros, avança a Lusa.

A licitação, aprovada através do conselho de administração da ADIF (Administrador de Infraestruturas Ferroviárias),refere-se aos troços da estação de Plasência, da estação de Plasência-Arroio da Charca e Arroio de Charca-Grimaldo, pertencentes ao troço Talayuela-Cáceres.

Os três troços licitados, com um total de 16,8 km e localizados totalmente dentro da província de Cáceres, representam um investimento total de 100,81 milhões de euros.

Segundo o Governo, a ADIF continua a dar «um impulso à conexão ferroviária entre Madrid e a Extremadura, possibilitando o cumprimento do compromisso do ministério de Fomento para reduzir os tempos de viagem entre as duas comunidades autónomas».

Em maio, durante uma visita às obras dos viadutos sobre os rios Tejo e Almonte, a ministra de Fomento, Ana Pastor, reafirmou o compromisso do Governo de ter a ligação terminada até 2015.

Isso permitirá uma ligação ferroviária entre Madrid e Badajoz em 3 horas e 35 minutos, reduzindo em 1 hora e 35 minutos o tempo de viagem entre as duas cidades (com paragens em Talavera da Rainha e Cáceres).

O tempo de viagem entre Madrid e Cáceres será de menos 50 minutos (2 horas e 39 minutos) e entre Madrid e Mérida o tempo de viagem será de 3 horas e 14 minutos, menos 1 hora e 15 minutos do que atualmente.

Em concreto, o troço Estação de Plasência, de 4 km, conta com um orçamento de 24,3 milhões de euros e inclui um viaduto sobre o Arroio de Valdelinares, de 339m.

Por sua vez, o troço Estação de Plasencia-Arroio da Charca, de 6,4 km, conta com um orçamento de 29,6 milhões de euros e inclui três viadutos.

Finalmente o troço Arroio da Charca-Grimaldo, de 6,4 km, conta com um orçamento de 46,86 milhões de euros e inclui quatro viadutos.

O projeto de ligação ferroviária até à fronteira terá apoios europeus, nomeadamente do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER), que cofinancia as obras de plataforma do troço Talayuela-Cáceres-Mérida, com 441,9 milhões de euros.

As Ajudas RTE-T 2007-2013 cofinanciam os estudos e projetos do troço Talayuela-fronteira portuguesa bem como as obras de plataforma do troço Mérida-Badajoz-fronteira portuguesa, com 62,7 milhões de euros.