As exportações da indústria têxtil e de vestuário portuguesa aumentaram 1%, para 2,1 mil milhões de euros, no primeiro semestre face a 2012, destacando-se a subida de 10% nas vendas para países não comunitários, divulgou esta sexta-feira a associação setorial.

Exportações sobem 6,3% no 2º trimestre mas já caem em junho

Segundo a ATP ¿ Associação Têxtil e de Vestuário de Portugal, as exportações setoriais com destino a países não comunitários cresceram 10% até junho, com destaque para o aumento nos EUA (mais 17%), em Angola (mais 9%), na Suíça (mais 19%), na Tunísia (mais 32%), em Marrocos (mais 28%) e na Roménia (mais 12%).

No que respeita às exportações para países comunitários, destaque para o crescimento registado no Reino Unido (mais 8%), na Bélgica (mais 6%) e na Suécia (mais 11%).

Por segmentos, a ATP salienta o desempenho dos têxteis lar e do vestuário e acessórios de malha: «As exportações de outros artigos têxteis confecionados, onde se incluem os produtos têxteis lar, aumentaram 11% face ao mesmo período de 2012. Todavia, o maior aumento em termos absolutos foi para o segmento de vestuário e acessórios de malha, que exportou mais 40 mil euros relativamente ao período homólogo de 2012», refere em comunicado.

Quanto às importações, aumentaram 3% no primeiro semestre, sobretudo devido às importações de matérias têxteis, que cresceram cerca de 12%.

Entre os principais fornecedores, a Índia, o Paquistão, a Indonésia e a Irlanda foram os que mais aumentaram as suas exportações para Portugal, respetivamente em 46%, 41%, 97% e 45%.