O secretário de Estado da Economia disse esta quinta-feira que a prioridade do grupo de trabalho criado por causa das Lajes é calcular o verdadeiro impacto económico da redução norte-americana na Terceira e captar investimento para a ilha.

«Quanto mais informação e mais transparência tivermos sobre um impacto, melhor ainda. Inegável, no entanto, é a captação de investimento, porque, independentemente de tudo, o que vamos ter de procurar é a estabilização do consumo privado na ilha e a manutenção das empresas que já operam na ilha, e bem, mas captar novas ideias, captar novos investimentos e é a isso que nós também nos propomos», frisou Leonardo Mathias, numa conferência de imprensa, em Angra do Heroísmo, citado pela Lusa.


No balanço de uma visita aos Açores, Leonardo Mathias disse que o grupo de trabalho que lidera, formado por vários secretários de Estado e pelo vice-presidente do Governo Regional dos Açores, quer em primeiro lugar fazer um «diagnóstico correto» do impacto que a redução militar norte-americana na base das Lajes terá para a Terceira, tendo em conta que existem «valores muito díspares» nos vários estudos que têm sido divulgados.

«O que gostaríamos era de perceber como é que esses estudos foram construídos, em base de que números e contrapor isso com o gabinete de estratégia de estudos do Ministério da Economia, que nos vai propor uma análise mais detalhada», explicou.


Segundo Leonardo Mathias, é difícil fazer essa análise enquanto não estiver concluída a discussão diplomática entre Portugal e os EUA, porque não é conhecido o número certo de despedimentos ou de equipamentos que se vão manter, mas já é possível calcular o impacto do consumo privado ou da procura interna.