O julgamento do pedido de anulação da deliberação de junção entre a Portugal Telecom e Oi marcado para segunda-feira foi adiado, segundo o portal Citius e a associação ATM, depois de a Pharol ter requerido uma audiência prévia.

O presidente da Associação de Investidores e Analistas Técnicos do Mercado de Capitais (ATM), Octávio Viana, explicou à Lusa que o julgamento foi adiado, depois da Pharol (ex-PT SGPS), liderada por Luís Palha da Silva, ter apresentado um requerimento, no qual pedia que fosse marcada uma audiência prévia.

"Quando há um requerimento há um prazo de dez dias para resposta. Ora isso caía em cima do julgamento que desta forma teve de ser adiado para uma data a remarcar, mas que deverá estar para muito breve", disse Octávio Viana.

O negócio foi anunciado a 2 de outubro de 2013. Na ocasião previa uma série de operações e incorporação de ativos, que criariam uma companhia – a CorpCo -  liderada por Zeinal Bava e com sede no Brasil. As receitas totalizaram 12,4 mil milhões de euros e seria cotada em São Paulo, Lisboa e Nova Iorque. No mercado a notícia foi bem recebida e as ações dispararam.

Um dia depois, a Bloomberg avaliava o negócio PT/Oi em 10,5 mil milhões de euros, o que o colocava na quarta posição entre os movimentos globais de mergers and acquisitions (M&A) - fusões e aquisições - do setor nesse ano.