As receitas totais da Vodafone Portugal subiram 1,9% no terceiro trimestre, terminado em dezembro, para 255 milhões de euros em termos homólogos, e as receitas de serviço cresceram 3,9%, anunciou hoje a operadora.

Entre outubro e dezembro, as receitas de serviço atingiram 236 milhões de euros, "o que representa o valor absoluto mais elevado desde o terceiro trimestre do ano fiscal 2013/2014 e um acréscimo de 3,9% face ao período homólogo" do ano anterior, refere a operadora de telecomunicações liderada por Mário Vaz.

Os resultados da Vodafone Portugal no terceiro trimestre do exercício fiscal 2017-2018, os melhores desde 2009, são impulsionados pela liderança no crescimento da televisão por subscrição há 16 trimestres consecutivos e pela obtenção dos maiores índices de satisfação dos clientes no setor das telecomunicações em estudos independentes, fruto da execução consistente de uma estratégia de enfoque no cliente, de investimento e de diversificação do negócio ao longo dos últimos anos", justifica a Vodafone Portugal, no comunicado.

A operadora adianta que "o crescimento sustentado do negócio fixo", nomeadamente no serviço de televisão paga, "de dois dígitos impulsiona o desempenho de um dos mais importantes indicadores de negócio", salientando que é a empresa do setor "que está a captar mais assinantes, em termos líquidos, na televisão por subscrição desde o terceiro trimestre de 2013, completando assim quatro anos de liderança nesta oferta, de acordo com os dados divulgados pela Anacom [Autoridade Nacional de Comunicações], relativos a setembro".

No terceiro trimestre fiscal, a base de clientes no negócio fixo subiu 12,9% em termos homólogos, ultrapassando os 644,4 mil.

No negócio móvel, a Vodafone Portugal sublinha o "acrescido peso dos clientes 4G [quarta geração móvel] que, no final do trimestre em análise, cresce 34,7% em termos anuais para 1,686 milhões".

O número total de clientes móveis da Vodafone Portugal ascende a 4,631 milhões, menos 3,1% do que um ano antes.

"A utilização de dados móveis acelera 50%" em termos homólogos "no segmento móvel e a penetração de 'smartphones' representa 72,6% da base ativa de clientes" deste segmento, refere.

O melhor resultado desde 2009 no crescimento das receitas de serviço indicam que continuamos a caminhar na direção correta. Estamos focados no nosso principal ativo, o cliente, que incentiva a nossa permanente reinvenção para ultrapassarmos sempre as suas expetativas, necessidades e interesses", afirma o presidente executivo, Mário Vaz, citado no comunicado.

A Vodafone Portugal recorda que já realizou os primeiros testes de quinta geração móvel (5G) no mercado português, atingindo velocidades de 20 Gbps.