O presidente executivo da PT Portugal anunciou esta quinta-feira o alargamento da cobertura de rede de fibra ótica a três milhões de casas até 2020 e envolve 2.000 empregos, mas escusou-se a revelar o investimento.

Atualmente, disse Paulo Neves em conferência de imprensa, a PT Portugal tem 2,3 milhões de casas passadas, sendo "a maior rede de fibra ótica do país".

Até 2017, a operadora pretende cobrir 3,5 milhões de casas e empresas e em 2020 o objetivo é chegar a 5,3 milhões.

"São três milhões de casas novas [com fibra ótica] no período de cinco anos", disse Paulo Neves, salientando que isso se traduz num "ritmo de 50 mil casas" passadas por mês nos próximos cinco anos (600 mil casas por ano).

Este projeto "vai envolver 2.000 pessoas a trabalhar connosco durante cinco anos", afirmou Paulo Neves.

"Posso garantir que a PT vai investir mais que no ano passado, vai inovar mais do que no ano passado", disse o gestor na conferência de imprensa.

Questionado pelos jornalistas, no final da conferência, sobre qual será o investimento, Paulo Neves escusou-se a avançar com valores, salientando que "o fundamental" para a operadora de telecomunicações detida pela Altice "é cobrir o país com fibra ótica e passar fibra ótica a todas as casas portuguesas, praticamente".

Os jornalistas insistiram na questão e Paulo Neves disse que "o investimento será aquele necessário para cobrir" as casas, chegando a afirmar que "o valor é irrelevante", defendendo que o mais importante é alargar a cobertura e criar os 2.000 empregos.

Instado a avançar com o valor que a PT Portugal investiu em 2014, já que tinha afirmado que o montante agora seria superior, o gestor afirmou: "No ano passado investimos aquilo que também foi necessário para cobrir a rede".

Durante a conferência de imprensa, Paulo Neves disse que a dona da Meo iria fazer chegar a "fibra ótica a quem não tem", adiantando que esta "tem menos 56% de avarias que as outras".

Ao todo, a operadora que foi comprada pela Altice este ano, pretende passar 30.000 quilómetros de fibra ótica em Portugal, o que corresponde a atravessar o país de Norte a Sul 22 vezes.

"Com esta cobertura de rede queremos ser líderes no mundo, queremos ficar no top 10 dos países com maior cobertura de rede", disse.

Na conferência, a PT Portugal anunciou com "orgulho" a apresentação de uma tecnologia desenvolvida por si, "inovadora a nível mundial" e com velocidades simétricas de 50 gigas, o NG PON-2.

De acordo com Alexandre Fonseca, administrador com pelouro da tecnologia (CTO), este é um projeto "pioneiro" cujo "anúncio mundial sai do capital intelectual dos engenheiros portugueses" e cujo equipamento é feito "em fábricas portuguesas".

Além disso, será exportado para as geografias onde o grupo Altice está presente e não só.

"Terá como alvo o setor empresarial", disse, salientando que o NG PON-2 vai "democratizar os acessos" com grandes débitos (velocidades).