O grupo Altice anunciou quinta-feira que vai vender 13.000 torres de comunicações em França e em Portugal, das quais 3.000 no mercado português, durante a primeira metade deste ano.

As torres de comunicações francesas e portuguesas são "o maior portefólio" disponível para venda no mercado na Europa, refere o grupo de Patrick Drahi no comunicado dos resultados da atividade da multinacional em 2017.

O processo "está em andamento" e trata-se de cerca de 10.000 torres em França e 3.000 em Portugal, tendo como meta que a alienação esteja concluída no primeiro semestre deste ano.

A 09 de janeiro deste ano, o presidente executivo da Altice Europe, Dennis Okhuijsen, tinha admitido, numa conferência telefónica com jornalistas, vender o portefólio de torres de comunicações em Portugal, por não ser um ativo estratégico para o grupo, salientando na altura que o assunto estava sob análise.

Após vários anos de aquisições, 2017 foi o de integração e execução, com um foco em tornar a experiência dos nossos clientes melhor", afirmou o presidente do Conselho da Altice N.V., Dexter Goei, citado no comunicado.

O mesmo responsável destacou que a Altice "tomou medidas importantes para simplificar o grupo e separar o negócio" na Europa e nos Estados Unidos com "estratégias distintas".

A Altice Europa "tem oportunidades tremendas ao cumprir as nossas aspirações operacionais, lideradas pela nova administração liderada pelo fundador da Altice Patrick Drahi", prosseguiu Dexter Goei.

No cerne da nossa estratégia está a inversão operacional e financeira em França e Portugal", acrescentou.

Para este ano, o grupo espera alcançar 'Free Cash Flow' [FCF - fluxo de caixa] entre 2,4 e 2,6 mil milhões de euros, excluindo o segmento de televisão da Altice.

As receitas consolidadas da Altice Europe recuaram 0,4% no ano passado, face a 2016, para 14.719 milhões de euros, com o resultado antes de impostos, juros, depreciações e amortizações (EBITDA) ajustado a ficar praticamente ao mesmo nível - 5.785 milhões de euros.