Portugal precisa de mais inflação. É o que defendem os antigos ministros das Finanças Miguel Cadilhe e Teixeira dos Santos, que participaram este sábado num debate, no Porto.

«Desejo que Portugal tenha um pouco mais de inflação. Um pouco mais de tempero para o crescimento económico. Nós não mandamos muito nisso, mas que o Banco Central Europeu dê alguma abertura», disse Miguel Cadilhe, ex-responsável pelas contas públicas de dois governos liderados por Cavaco Silva.

Por sua vez, Teixeira dos Santos, antigo ministro do Governo de José Sócrates, concluiu a sua intervenção exatamente manifestando anuência face à afirmação do orador que o antecedeu: «Estou inteiramente de acordo com o dr. Miguel Cadilhe quando diz que precisamos de um bocadinho mais de inflação».

Em Portugal, a taxa de inflação anual ficou em 0,1% em outubro, significando alguma recuperação dos preços depois da taxa de inflação nula de setembro (0,0%) e da taxa negativa registada nos meses anteriores, segundo dados do Eurostat.

Fala-se de inflação quando se verifica um aumento geral dos preços dos bens e serviços e não quando apenas os preços de artigos específicos sobem.

Ambos os ex-governantes falavam durante um debate integrado no ciclo «Um Objeto e seus Discursos por Semana», promovido pelo pelouro da cultura da autarquia do Porto, que hoje incidia sobre duas moedas portuguesas do século XV.

Questionados à entrada da sessão, tanto Miguel Cadilhe como Teixeira dos Santos escusaram-se a comentar outros temas, nomeadamente o Orçamento do Estado para 2015 ou a ida do ex-governante socialista, na próxima quarta-feira, à comissão parlamentar de inquérito à gestão do BES e do Grupo Espírito Santo (GES).