O Presidente da República reconduziu esta quinta-feira o Juiz-Conselheiro Guilherme Oliveira Martins para um novo mandato como presidente do Tribunal de Contas, cargo que ocupa desde 2005.

Na página oficial da Presidência da República lê-se que «o Presidente da República nomeou, sob proposta do Governo, o Juiz-Conselheiro Guilherme d¿Oliveira Martins para um novo mandato como Presidente do Tribunal de Contas» e que a tomada de posse será a 26 de novembro, às 15:30 horas.

Nascido em Lisboa, Guilherme d' Oliveira Martins, 61 anos, licenciou-se em Direito e foi assistente na Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, entre 1977 e 1985.

Foi também consultor jurídico dos Ministérios das Finanças e da Indústria e Comércio, entre 1975 e 1986, e diretor dos Serviços Jurídicos da Direcção-Geral do Tesouro.

Militante fundador da JSD, em 1974, e secretário-geral adjunto do Partido Popular Democrático, em 1975, Oliveira Martins acabou por abandonar aquele partido em abril de 1979.

Nesse ano, ainda ocupou o lugar de chefe de gabinete de António Sousa Franco, que era o Ministro das Finanças do governo de Maria de Lurdes Pintasilgo. Em 1980 e 1983 foi deputado da Assembleia da República, eleito pelo Partido Socialista.

Em 1985 apoiou a candidatura presidencial de Mário Soares, acabando por ser designado assessor político da Casa Civil do Presidente da República.

Durante o Governo de António Guterres ocupou os cargos de

Secretário de Estado da Administração Educativa, Ministro da Educação, das Finanças e da Presidência.

Guilherme d¿Oliveira Martins foi depois deputado e vice-presidente da direcção da bancada socialista na Assembleia da República, cargo que abandonou em 2005 para assumir funções na presidência do Tribunal de Contas, órgão fiscalizador das contas dos Estado.

O professor catedrático foi ainda agraciado em 1996 com a Medalha de Grande-Oficial Ordem do Infante D. Henrique.