A taxa de juro implícita dos contratos de crédito à habitação em Portugal desceu cerca de três pontos base para 1,439% em outubro, tendo a prestação média vencida diminuído um euro para 258 euros.

Segundo o Instituto Nacional de Estatística, para os contratos celebrados nos últimos três meses, a taxa de juro implícita passou de 3,131% em setembro para 3,071% em outubro.

O valor médio da prestação vencida para o conjunto dos contractos de crédito à habitação, diminuiu nove euros para os contratos celebrados nos últimos 3 meses, para um valor médio de prestação de 344 euros.

O valor do capital médio em dívida, para o conjunto dos contratos de crédito à habitação, foi 56.916 euros em outubro, menos 103 euros face a Setembro.

Nos contratos celebrados nos últimos três meses, o valor médio do capital em dívida foi 82.128 euros em outubro, contra 83.405 euros em setembro.

Estes dados do INE utilizam informação das instituições bancárias enviadas ao INE.

A taxa de juro implícita no crédito à habitação reflete a relação entre os juros totais vencidos no mês de referência e o capital em dívida no início desse mês, antes de amortização.