Os empresários portugueses de hotelaria afirmam-se otimistas em relação ao período da Páscoa, perspetivando mais receitas totais e de alojamento do que no ano anterior, segundo um inquérito da Associação da Hotelaria de Portugal divulgado esta quinta-feira.

De acordo com o habitual inquérito realizado pela AHP aos seus associados, tendo por base as reservas já sinalizadas para o período entre 21 de março e 05 de abril, «a maioria das unidades hoteleiras deverá registar uma melhor performance quer das receitas totais e de alojamento, quer do preço médio por quarto ocupado (ARR) e do preço médio por quarto disponível (RevPar), face ao ano anterior».

Já no que respeita à taxa de ocupação por quarto (TO) e à receita de «Food & Beverage» (F&B), a maioria dos hoteleiros espera alcançar «resultados idênticos» aos de 2014.

Do inquérito resulta ainda que Portugal e Espanha são os principais mercados emissores de hóspedes, com Portugal à frente, exceto para a Madeira (onde a Alemanha lidera) e para Lisboa (onde Espanha ocupa o 1.º lugar).

Para 25% dos inquiridos o principal canal de vendas é a página eletrónica dos estabelecimentos hoteleiros, seguido das agências/tour operadores (com 22% das respostas) e dos sítios de viagens na Internet (com 19%).

Analisando os dados por regiões, a Madeira e Lisboa antecipam melhores resultados nas receitas totais (63% e 62% respetivamente), enquanto relativamente à TO os hoteleiros mais otimistas são os dos Açores (50%) e os do Centro (49%) e as unidades do Alentejo são as que manifestam expectativas mais baixas: apenas 29% prevê uma melhor performance durante a Páscoa.

Segundo a presidente executiva da AHP, Cristina Siza Vieira, «de uma forma geral, os hoteleiros estão otimistas no que respeita à Páscoa de 2015 mas, ao contrário do ano passado, em que previam melhorias em todos os indicadores, este ano as previsões tanto para a receita de F&B como para a TO são conservadoras».

A responsável destaca também o caso dos Açores, cujas previsões para o fim-de semana são «bastante positivas, mas não tanto para o período alargado das férias da Páscoa», sendo a situação atribuída pela associação ao início dos voos de baixo custo para aquela região autónoma, a 29 de março.

Relativamente ao fim de semana da Páscoa (04 e 05 de abril), o inquérito da AHP evidencia que a maioria dos hoteleiros espera crescer ligeiramente nas receitas (exceto receitas de F&B), no ARR e RevPar, prevendo 43% dos inquiridos uma TO igual.

Neste período, os empresários dos Açores revelam-se os «mais otimistas» e os do Alentejo e Algarve «os mais estáveis», quer no que respeita à taxa de ocupação, quer ao RevPar.

O inquérito da AHP foi realizado a nível nacional entre os dias 05 e 12 de março com base nas reservas efetuadas junto dos hotéis seus associados, sendo a amostra de 31%.