Os Açores atingiram pela primeira vez, em julho, uma taxa de ocupação na hotelaria de 90%. Os dados são da Associação da Hotelaria de Portugal (AHP), no âmbito dos AHP Tourism Monitors. O arquipélago atrai cada vez mais turistas.

"Pela primeira vez, uma taxa de ocupação quarto de 90% e a mais elevada do país”, num mês em que a taxa subiu 1,1 pontos percentuais para 83%, na comparação com o mesmo período do ano passado, destaca a associação, citada pela Lusa.

Cristina Siza Vieira, presidente executiva da AHP, notou que os Açores têm sido um destino que se consolida e que protagonizaram a “grande surpresa deste mês de julho a atingirem pela primeira vez os 90% em taxa de ocupação (TO), a mais elevada do país a par da Madeira”.

Sublinhe-se ainda que o preço médio por quarto vendido (ARR) também teve uma subida expressiva. A combinação da elevada taxa de ocupação com o ARR permitiu aos Açores uma excelente performance no período, ultrapassando todos os destinos, à exceção de Lisboa, Estoril e Algarve”.

A seguir a Açores e Madeira, em termos de taxa de ocupação, estão o Algarve (89%) e Lisboa (87%).

O preço médio por quarto ocupado (ARR) fixou-se nos 106 euros, numa subida de 11% em relação a julho de 2016. Lisboa (17%), Beiras (14%) e Algarve (13%) tiveram os maiores aumentos neste campo. 

Já o preço médio por quarto disponível (RevPAR) subiu 13%, face ao período homólogo de 2016, fixando-se nos 88 euros. Os destinos turísticos Algarve (141 euros), Estoril (96 euros) e Lisboa (93 euros) registaram os valores mais elevados.

A receita média por turista no hotel continuou a crescer, mostrando um aumento de 8% para 138 euros. Por destinos turísticos, Lisboa cresceu mais neste indicador, com mais 16%, mas, em termos absolutos, a Madeira destacou-se com uma receita média de 304 euros, seguida do Algarve, com 247 euros, e dos Açores, com 202 euros.