A taxa de inatividade, que diz respeito a quem não esteja empregadado nem desempregadado, estudantes, domésticos ou reformados, aumentou ligeiramente em Portugal para os 41,5%. Os dados são da Pordata.

Segundo a informação recolhida pelo portal estatístico da Fundação Francisco Manuel dos Santos, em 2016 a taxa de inatividade subiu para os 41,5%, face aos 41,3% observados em 2015.

Nas mulheres, esta taxa aumentou dos 46,2% para os 46,5%. Nos homens, manteve-se nos 35,8%.

No Retrato de Portugal 2017, lançado hoje no âmbito do Dia Mundial da População, a Pordata caracteriza o total de inativos contabilizados no ano passado: