Apesar da redução da taxa de desemprego no quarto trimestre de 2015, o ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social admite que continua a ser "um problema muito significativo".

"Ter-se reduzido em termos homólogos é um fator positivo, mas a taxa de desemprego continua a ser um problema muito significativo e continua a ser um problema mais significativo enquanto (…) essa diminuição da taxa de desemprego não for acompanhada pela criação do emprego correspondente", afirmou Vieira da Silva.

O governante falava aos jornalistas na residência oficial do primeiro-ministro, no final da ronda de encontros com os parceiros sociais sobre a proposta de Orçamento do Estado para 2016.

O Instituto Nacional de Estatística revelou esta quarta-feira que a taxa de desemprego subiu 0,3 pontos percentuais para 12,2% no quarto trimestre de 2015 face ao anterior, mas a taxa média anual caiu 1,5 pontos percentuais no ano passado em relação a 2014, para 12,4%.

O ministro do Trabalho vincou que a questão não é apenas descer a taxa de desemprego, mas acompanhar essa descida com criação de emprego e, se possível, emprego de qualidade.

"Isso infelizmente ainda não está a acontecer com a rapidez e o volume que todos ambicionamos", referiu.