O ministro Pedro Mota Soares, que acumula agora a pasta do Emprego com a da Solidariedade e Segurança Social, considera «um sinal positivo» a queda da taxa de desemprego, registada em junho.

De acordo com o Eurostat, a taxa de desemprego nacional caiu quatro décimas para 17,4% em junho. O governante admite que é «ténue», mas «um primeiro sinal».

«Sabemos que neste momento o país continua a ter no desemprego a sua maior dificuldade, a situação é muito difícil para os desempregados em Portugal, mas estes números também nos dizem que esta redução de dois pontos percentuais significa que cerca de 20 mil pessoas deixam de estar desempregadas», acrescentou.

E acrescenta que os dados do Eurostat estão corrigidos da sazonalidade, ao contrário do que alega a CGTP, o que significa que esta queda não se deve ao início do verão, altura em que alguns setores de atividade aceleram, como a construção ou a restauração e hotelaria.

«É a primeira vez nos últimos 24 meses que há uma descida consecutiva de dois meses da taxa de desemprego, descontando o efeito da sazonalidade, muito especialmente da matéria do turismo», sublinha, avisando que «não é possível entrarmos em euforias. O trabalho que temos pela frente é muito difícil».