A taxa de desemprego em Portugal foi de 15,2% em março, o que significa que manteve o valor de fevereiro, representando uma descida face ao período homólogo, em que a taxa foi de 17,4%.

Segundo dados do Eurostat, em março Portugal tinha 807 mil desempregados registados, contra os 810 mil desempregados registados em fevereiro.

A taxa desemprego jovem (desempregados com menos de 25 anos) subiu 0,4% em relação a fevereiro, sendo já de 30,4% do total dos desempregados.

Na União Europeia, a taxa de desemprego jovem na zona euro foi de 22,8% e de 23,7% ao nível da zona euro, contra os 23,5% e 24% registados respetivamente em março de 2013.

Ao nível da zona euro, a taxa de desemprego manteve-se estável tanto na zona euro (11.8%) como na União Europeia (10,5%) relativamente a fevereiro.

Em termos homólogos, isto é, em relação a março de 2013, a taxa de desemprego baixou duas décimas, de 12% para 11,8% entre os países da moeda única, e quatro décimas entre os 28, de 10,9% para 10,5%.

Em março, os Estados-membros com taxas de desemprego mais baixas foram a Áustria (4,9%), a Alemanha (5,1%) e o Luxemburgo (6,1%), tendo a Grécia (26,7% em janeiro) e a Espanha (25,3%) observado as taxas mais elevadas.

Em relação a março de 2013, o desemprego aumentou em dez Estados-membros, manteve-se estável em três e baixou em quinze países, com Chipre (de 14,8% para 17,4%), os Países Baixos (de 6,4% para 7,2%), a Itália (de 12% para 12,7%) e a Croácia (de 16,6% para 17,3%) a liderarem a lista de países com maiores subidas.

De acordo com o Eurostat, em março de 2014 havia 25.699 milhões de pessoas no desemprego na União Europeia e 18.913 milhões na zona euro, o que representa um recuo de 66 mil e 22 mil pessoas, respetivamente, em relação ao mês de fevereiro.

Na comparação anual, o Eurostat indica ter havido uma redução de 929 mil desempregados na União Europeia e 316 mil desemprego entre os países do euro.