A companhia de aviação irlandesa Ryanair voltou esta segunda-feira a apelar junto da Comissão Europeia a que sejam tomadas “medidas imediatas que evitem que milhares de cidadãos europeus tenham os seus voos cancelados ou atrasados devido às greves contínuas de pequenos sindicatos de Controladores de Tráfego Aéreo (CTA)”.

A informação desta iniciativa foi prestada num comunicado onde a empresa contabiliza em 44 o número de voos que “foi forçada a cancelar” terça-feira por causa da greve dos controladores, dando ao mesmo tempo conta do número de paralisações que os CTA franceses têm vindo a protagonizar: trata-se da 50ª greve de CTA franceses desde 2009 e a 10ª em apenas 12 semanas.

Segundo noticia o Público, entre os voos cancelados para terça-feira estão oito que afetam ligações portuguesas, com os voos de ida e volta entre Lisboa e Paris a serem cancelados, assim como os que fazem a ligação entre o Porto e os aeroportos de Paris, Lille e Bordeaux.

“Esta última greve está a ser planeada com o objetivo de atingir diretamente o campeonato de futebol Euro 2016, deixando os fãs à total mercê dos sindicatos de CTA franceses”, acusa a Ryanair.

Para além da Ryanair também outras companhias aéreas europeias, através da associação que as representa, como a AEA – Association of European Airlines, têm vindo a condenar estas greves, pedindo a intervenção da Comissão Europeia.

Confirmado está o cancelamento, também terça-feira, de voos entre Lisboa e Paris operados pela Air France, mas estes devido à greve de pilotos que está em curso desde o dia 11.