O arranque do fabrico do novo modelo da Autoeuropa, o T-Roc, fez disparar a produção automóvel em Portugal. Só em novembro, os carros fabricados cresceram 70,9% em comparação com o mesmo mês do ano passado. O balanço é da Associação Automóvel de Portugal (ACAP).

[En novembro], saíram das fábricas nacionais 22.967 veículos ligeiros e pesados, o que representou um forte crescimento, de 70,9% face ao mês homólogo".

Foram produzidos mais veículos automóveis (22.967) do aqueles que foram vendidos (21.846). Na contabilização destes últimos também se incluem veículos produzidos em Portugal.

Os ligeiros de passageiros foram os que mais cresceram (18.231 veículos, um disparo de 98,2%), seguindo-se os comerciais ligeiros (4.398 veículos, mais 12,6%).

Em termos acumulados, desde o início do ano, "foram produzidos 160.236 veículos automóveis, ou seja, mais 19,3% do que em igual período de 2016".

A ACAP refere que 96,5% dos veículos produzidos se destinaram às exportações, contribuindo "de forma significativa" para a balança comercial portuguesa.

A Europa continua a ser o mercado líder nas exportações dos veículos fabricados em Portugal (86,1%), com destaque para:

  • Alemanha (21,3%)
  • Espanha (13,6%)
  • França (11,6%)  
  • Reino Unido (10,7%)

Quanto ao resto do mundo, o mercado asiático, liderado pela China (9,6%), mantém o segundo lugar nas exportações de automóveis fabricados em Portugal.

A Autoeuropa vai contratar mais 400 trabalhadores no próximo ano para continuar a produzir o novo T-Roc e admite um novo horário para fazer face às encomendas.

A Comissão de Trabalhadores rejeitou a decisão da administração de avançar unilateralmente com novo horário de produção a partir de finais de janeiro e convocou plenários para dia 20 de dezembro.