O Verão traz sempre a vontade de ficar em forma, e mesmo sem ele há, cada vez mais, pessoas que recorrem à compra de medicamentos na internet. “Mas nem tudo o que luz é ouro”. Pode ser mais barato e apelativo, mas também pode ser ilegal e, sobretudo, fazer mal à saúde.

A Deco recebe algumas queixas de consumidores sobre este tema e a jurista, Carolina Gomes, esteve no espaço da Economia 24, do “Diário da Manhã” da TVI.

Quais são os tipos de medicamentos adquiridos online?

Muitas vezes são fármacos que não existem em Portugal, suplementos vitamínicos, hormonas, produtos de emagrecimento, etc…

Qual a motivação para a compra de medicamentos online?

1.        crescimento exponencial do comércio online de medicamentos pela via da alteração dos hábitos dos consumidores

2.        o acesso facilitado e a comodidade;

3.        o preço reduzido;

4.        ausência de exposição pública e a compra de produtos inexistentes em Portugal

Qual o perfil deste consumidor?

O perfil deste consumidor parece-nos que é jovem, mas por motivações económicas, poderá também abranger outras faixas etárias.

Qual o principal risco de a compra online de medicamentos?

Como os sites muitas vezes têm uma aparência credível o consumidor incauto acaba por efetuar a compra, desconhecendo a proveniência dos produtos. Tal facto acarreta um grave risco para a saúde. Se desconhecemos a proveniência não existe qualquer garantia de qualidade.

Acresce a ausência de aconselhamento profissional na toma dos medicamentos.

É ainda preciso não esquecer que a operação de compra pode ser fraudulenta e expor os dados dos consumidores (dados pessoais e bancários).

Qualquer destes produtos tem que ser certificado pelo Infarmed para ser legal e, eventualmente, não prejudicar a saúde?

Sim. A venda online de medicamentos depende da previa comunicação e autorização pelo Infarmed. A venda ilegal de medicamentos através da internet por entidades não licenciadas acarreta um grave risco para a saúde dos doentes. Grande parte dos medicamentos e suplementos vendidos online podem ser falsificados e ilegais.

Como evitar?

Comprando medicamentos através de uma farmácia online ou site devidamente credenciados. A confirmação será possível através da consulta do site do Infarmed - lista de quem está credenciado. Os sites na União Europeia terão de conter o logotipo comum que permite a verificação de que o site está conforme.

A sensibilização dos consumidores pelas entidades oficiais, profissionais de saúde e associações de consumidores também é importante.