O Ministério do Emprego e da Segurança Social encaixou apenas 13,9 milhões de euros com a contribuição de 5% e 6% sobre os subsídios de doença e desemprego até ao final de novembro, revela o jornal Público.

O valor está bastante abaixo do orçamentado pelo Governo: prevê-se que este ano as duas taxas cheguem aos 50,4 milhões de euros, mas neste momento, a um mês do fecho de contas, o montante arrecadado é de apenas 28% do valor estimado pelo Executivo.

De acordo com os últimos dados, em novembro havia 374.871 pessoas a receber prestações de desemprego, dos quais 310.412 recebiam o subsídio de desemprego. Nesse mês, o montante médio das prestações era de 480,57 euros, o mais baixo dos últimos 38 meses.