Só um terço dos desempregados declarou ao Instituto Nacional de Estatística estar a receber o subsídio de desemprego, no final do ano passado, revela o Jornal de Negócios.

Dos 826 mil desempregados oficialmente reconhecidos, apenas 595 mil diziam estar inscritos nos centros e emprego, e só 265 mil declarava estar a receber o subsidio de desemprego.

A questão da baixa cobertura do subsídio de desemprego não é nova: esta semana foi levantada de novo por um relatório da OCDE, que denunciava que quase 6 em cada 10 desempregados não recebe subsídio.

Há 5 anos, Portugal era considerado um país com subsídios relativamente generosos, sobretudo devido à taxa de substituição, ou seja, à comparação entre o valor do subsídio e do último salário.

Nos últimos anos, o valor foi reduzido através da fórmula de cálculo de novos tetos máximos, de uma redução progressiva no tempo e de uma taxa de 6%. O valor médio do subsídio caiu 5% em apenas um ano.