O subsídio extraordinário de desemprego vai chegar, este ano, a 13 mil desempregados de longa duração. Os beneficiários vão começar a ser notificados por carta pela Segurança Social até ao final desta semana.

Este apoio, que corresponde a 80% do subsídio social de desemprego, foi criado em 2016 para apoiar quem está sem trabalho há mais de um ano e que deixou de receber o subsídio social de desemprego há, pelo menos, 180 dias (a contar até 31 de dezembro de 2017).

O apoio extra ronda os 343 euros, quando o desempregado vive sozinho, e os 429 euros, se viver com familiares. Só recebe quem esteja numa situação de desemprego involuntária.

Segundo a informação prestada pelo Ministério do Trabalho e da Segurança Social ao Diário de Notícias e ao Jornal de Notícias, serão então entre 12 mil a 13 mil as pessoas que preenchem os requisitos.

Depois de notificados, os beneficiários têm 90 dias para apresentar o pedido para efetivamente receberem este extra. Quem não entregar o documento, perde o direito à prestação.

No final do ano passado, estavam a receber este subsídio perto de 2.500 desempregados. Passam, portanto, a estar abrangidas muito mais pessoas. A explicação está no facto de o Orçamento do Estado para 2018 ter passado de 360 dias para 180 dias o limite a partir do qual as pessoas que ficaram sem subsídios podem pedir o apoio extraordinário.

Veja também: